Nossos insights do RD Summit 2019 e as tendências para 2020 – PARTE 1

 em Marketing Digital
Tempo de leitura: 7 min

Que o RD Summit 2019 foi um grande sucesso, já não é segredo para ninguém. Afinal, reunir mais de 12 mil pessoas em um evento que é considerado o maior de marketing e vendas da América Latina, não é para qualquer um.

O mais incrível de tudo é que a grande maioria das pessoas estava ali em busca de conhecimento, de novos insights, de ser ainda melhor no que faz. A única coisa impossível no evento era conseguir acompanhar todas as palestras, afinal, foram 175.

Por isso, nós, da Converta Mais, que estivemos presentes nesta edição de 2019, nos dividimos por lá e vamos compartilhar com você, neste e no próximo post, nosso olhar sobre o evento e o que é tendência para 2020, de acordo com os especialistas.

Afinal, bons conteúdos e networking não faltaram. Confira!

 

O lado estratégico: métricas, vendas e performance

Vendas, hacks de métricas e growth, essa foi a visão estratégica do evento, voltada para a performance.

 

Tainah Subtil: “Vendas para não vendedores”

02 Tainah Subtil Rd Summit 2019

Tainah Subtil no RD Summit 2019/Foto: Converta Mais

Assim como o nome sugere, a palestra foi bastante voltada para dicas de como agir em negociações. Tainah Subtil, da Resultados Digitais, compartilhou experiências pessoais para ilustrar o conteúdo abordado na palestra. Além disso, trouxe ideias e técnicas de como se preparar para encarar a rotina de um vendedor, que não necessariamente seja um vendedor.

Por exemplo, como começar uma reunião com o cliente. Sabia que é mais interessante começar com duas perguntas fechadas (respostas sim ou não) e depois abrir para as mais discursivas? E ela falou da importância de, não custa lembrar, sempre investigar como está a disponibilidade do cliente para aquele momento, qual o humor e o que ele realmente está interessado em saber.

 

Aaron Ross: “É preciso fugir de crenças como ter de escolher entre a família e a carreira”

03 Aaron Ross Rd Summit 2019

Aaron Ross no RD Summit 2019/Foto: Resultados Digitais

Já o autor do livro Receita Previsível, Aaron Ross, falou sobre a estruturação do processo de vendas como um todo, desde o relacionamento com o marketing até o que deveria ser o foco do gestor comercial. Mas, como nem tudo são só estratégias, adivinha sobre o que Aaron Ross também falou? Sim, sobre humanização – conforme você acompanhará mais adiante.

Ele defendeu que é preciso fugir de crenças comuns do passado, como “quanto mais trabalho melhor” e “ter de escolher entre família e carreira”. Para Aaron Ross, estamos sobrecarregados devido à quantidade de informações em excesso. Por isso, o melhor que um empreendedor pode fazer é começar devagar para sistematizar o negócio.

 

Raphael Lassance: “O crescimento acontece quando gerenciamos com sucesso todos os gargalos”

04 Raphael Lassance Rd Summit 2019

Raphael Lassance no RD Summit 2019/Foto: Resultados Digitais

Os obstáculos de uma empresa são: desempenho financeiro, potencial de mercado, proposta de valor, relacionamento com clientes, diversidade de produtos, estratégias de aquisição de clientes e infraestrutura.

Esse foi o destaque do Raphael Lassance, referência em growth hacking nacional. Para ele, qualquer empresa deve colocar essas ações em prática para solucionar os gargalos e baseá-las em dados.

 

Gabriel Costa: Método Arroz com Feijão do growth

05 Gabriel Costa Rd Summit 2019

Gabriel Costa no RD Summit 2019/Foto: Resultados Digitais

Falando em dados, o  Gabriel Costa, diretor de marketing e crescimento no Singu, aplicativo de serviços de beleza e bem-estar, sugeriu ao público utilizar o método ACF (Arroz com Feijão) no crescimento de dados: selecionar o básico, focar nas coisas certeiras, utilizar o marketing com base em pessoas, além de medir resultados e, de novo, estabelecer ações com base em dados.

Com essas palestras, já vimos que é possível gerar crescimento operacional (vendas) se analisarmos os dados corretos e usar as ferramentas que temos à disposição.

Além disso, vivemos em um momento em que é necessário olhar mais para o comportamento macro antes de definir uma estratégia apenas alinhada com dados primários (internos da empresa). Ou seja, entender necessidades e comportamentos de massa para verificar o que a persona possui ou não em comum, para as estratégias serem mais assertivas.

+Leia: RevOps: departamento que integra marketing, vendas e customer success 

 

Conteúdo, cultura empresarial e mudança de mindset com foco nas pessoas

06 Pessoas Rd Summit 2019

RD Summit 2019

Eu diria que este é o grande destaque do RD Summit 2019: o foco nas pessoas. E essa será a tendência para 2020. Afinal, por trás de tantas metas, métricas, ferramentas e resultados, existem muitos seres humanos trabalhando, não é mesmo?

Não se trata apenas de criar ótimos conteúdos para aumentar a conversão de leads. O cenário é outro. É preciso criar conexão com a audiência e conquistar a confiança do cliente.

 

Ann Handley: “Quanto mais pessoal for, mais universal vai ser e mais humana a minha voz será”

07 Ann Handley Rd Summit 2019

Ann Handley no RD Summit 2019/Foto: Resultados Digitais

Essa é a opinião de uma das maiores experts em marketing de conteúdo do mundo: Ann Handley. Ela trouxe um exemplo bem simples e prático sobre e-mail marketing. De acordo com Handley, o e-mail marketing é o único lugar onde as pessoas estão no controle e não os algoritmos.

Por isso, uma dica ao montar um e-mail é escrever pensando em uma única pessoa. Ela falou sobre “escrever para Dóris”, um exemplo real em que Warren Buffet escreve como se fosse enviar para a irmã dele, que tem um perfil parecido com o dos clientes.

Só que ao escrever o e-mail pensando que seria para a irmã, a linguagem se torna mais próxima, íntima e humanizada. Aliás, nem pensar em usar algo como “[email protected]”, ok? Conselho da própria Ann Handley.

“Quando escrevo para a minha newsletter, penso em um assinante. Pode ser alguém com quem conversei aqui no evento ou em uma rede social. Quanto mais pessoal for, mais universal vai ser e mais humana a minha voz será. Independentemente do número de pessoas que recebem, você envia para uma caixa de entrada”, conclui.

Outra preciosa dica de Ann foi de desacelerar a experiência para o cliente. Ela sugere contar uma mesma história com o passar do tempo para criar conexão com o público.

 

Albert Hayfaz: “Se você tem áudio, você passa mais tempo com seu público”

08 Albert Hayfaz Rd Summit 2019

Albert Hayfaz no RD Summit 2019/Foto: Converta Mais

A era do áudio chegou para ficar. Você deve estar se questionando, pois o rádio nem deve ser mais tão ouvido assim. Acontece que trata-se de um novo jeito de consumir conteúdo em áudio que vai muito além do dial.

Portanto, a questão não é sobre as pessoas deixarem de ouvir rádio, apenas mudamos nosso jeito de ouvir. As plataformas mudaram, as opções são outras. Afinal, quem não tem aquele podcast preferido?

Albert Hayfaz, CEO do Vooozer, apresentou vários dados durante sua palestra sobre a utilização de áudio marketing em estratégias. Um deles é que quando você inclui o áudio em suas ações, você pode criar 45% mais engajamento e aumentar em 43% a geração de leads.

09 Audiomarketing Rd Summit 2019

Um exemplo de case trazido por Albert é o da Rock Content, que mostra resultados positivos na utilização de áudio. Veja:

  • 1,5% das vendas únicas converteram no player;
  • Tempo médio de engajamento com os áudios foi de quase 8 minutos;
  • Consumo médio de 53%;
  • 43% de aumento no Time on Page;
  • 11% no crescimento de leads mensais no blog.

Outro exemplo citado foi da própria Resultados Digitais, no qual o audiobook ultrapassou a conversão de e-book. Mas por que isso acontece? Porque 83% das pessoas não conseguem ler tudo o que gostariam na internet. E o áudio entra como um facilitador, pois possibilita que as pessoas consumam o conteúdo mesmo quando estão realizando outras atividades.

Mas, nada de voz de robô! As pessoas querem ouvir pessoas e não máquinas. Albert sugere que a criação de áudio marketing seja feita com voz, entonação e emoção humana.

 

Arthur Diniz: Que cultura de liderança pode prosperar nesses novos tempos?

10 Arthur Diniz Rd Summit 2019

Arthur Diniz no RD Summit 2019/Foto: Crescimentum

O maior desafio para os atuais empreendedores brasileiros é fazer a gestão de pessoas. Esse é o quesito que aparece em primeiro lugar em uma lista que constam outras opções como gestão financeira e processos operacionais.

Esse foi um dos dados apresentados pelo especialista em gestão de cultura organizacional Arthur Diniz, de acordo com uma pesquisa feita pela Endeavor.

Para gerir pessoas é preciso investir em cultura de liderança para formar uma organização ágil. Afinal, cada vez mais é necessário ser líder e não chefe para fazer a empresa prosperar.

11 Lider E Chefe Rd Summit 2019

Dessa forma, listamos as principais funções de um líder ágil, conforme a apresentação de Arthur Diniz no RD Summit 2019.

  • Energizar as pessoas, acessar motivação intrínseca;
  • Empoderar times;
  • Dar e receber feedbacks constantes;
  • Implementar modelo de pensamento sistêmico;
  • Encorajar a inovação.

Sendo assim, quatro valores e doze princípios compõem o que chamamos de cultura ágil. São eles:

  1. Indivíduos e interações acima de processos e ferramentas;
  2. Software que trabalha sobre uma documentação de fácil compreensão;
  3. Colaboração do cliente sobre negociação de contrato;
  4. Responder às mudanças ao invés de seguir um plano.

Na imagem abaixo, você encontra os nove princípios da liderança ágil:

12 Lideranca Agil Rd Summit 2019

Mas, aderir uma cultura ágil para uma liderança ágil requer um entendimento desses princípios e valores por grande parte da empresa para que, de fato, haja a adoção desse conceito. E a forma mais rápida e viável de aplicar esse modelo é por meio de uma cultura de confiança, de transparência e de melhoria contínua.

 

Juliana Paolucci: “Cultura é o sistema imunológico de uma empresa”

13 Juliana Paolucci Rd Summit 2019

Juliana Paolucci no RD Summit 2019/Foto: Reprodução Linkedin

A palestra sobre desenvolvimento pessoal, gestão e estratégia, com a Juliana Paolucci (diretora de inovação da Laje) trouxe, entre outras coisas, definições de cultura e inovação.

14 Cultura Rd Summit 2019

O que é cultura/RD Summit 2019/Foto: Converta Mais

 

 

15 Inovacao Rd Summit 2019

O que é coragem/RD Summit 2019/Foto: Converta Mais

Ao pensar em inovação, qual a primeira coisa que vem à sua mente? Tecnologia e afins? Pois a Ju trouxe um viés completamente diferente disso. Sabe para qual lado ela levou o conceito de inovação? Para o humano. Pois é!

Inovar, afinal, também significa ter uma nova ideia. Correr riscos e estar vulnerável. Mas, não se engane: vulnerabilidade, nesse caso, nada tem a ver com fraqueza. Muito pelo contrário. E ela exemplificou isso trazendo o método VUCA:

  • Volátil;
  • Incerto;
  • Completo;
  • Ambíguo.

Afinal, tudo isso é necessário para criar a cultura de uma empresa, especialmente a coragem.

16 Coragem Rd Summit 2019

O que é coragem/RD Summit 2019/Foto: Converta Mais

Portanto, a cultura de uma organização é o modo como ela se posiciona, no caso, as pessoas que fazem parte dela. Como muito bem apresentado durante a palestra: é o sistema imunológico de uma empresa”.

Gostou do nosso artigo até aqui? Então, fica ligado, pois este texto terá continuação. Semana que vem nos vemos de novo com mais insights do RD Summit 2019. Até lá!

 

Postagens Recentes

Comentários

O Que Um Kpi Como DefinirGary Vee 2 Rd Summit 2019